Mad Season: Em breve novo álbum

A grande e influente banda grunge Mad Season está em estúdio gravando novas músicas. Ainda que a formação do grupo tenha apenas dois de seus integrantes, já que os saudosos Layne Staley e John Baker Sounders nos deixaram há um bom tempo, os integrantes vivos do grupo resolveram se reunir com Duff McKagan (ex Guns N’ Roses) para gravar novas músicas.

Mike McCready (também do Pearl Jam) e Barrett Martin (também do Screaming Trees) revelaram na noite de ontem que a banda está em estúdio trabalhando em novos sons. Vale lembrar que recentemente um show do Mad Season foi celebrado em Seattle e contou, entre outros, com os vocais de Chris Cornell (Soundgarden).

Há chances de que, além do próprio Cornell, outros músicos influentes apareçam nessas canções, como Mark Lanegan e Peter Buck, por exemplo, com quem Martin já revelou estar sempre trabalhando. O único disco do grupo, Above, foi lançado em 1995.

À La Carte: Mad Season Reunion Show – Long Gone Day

Em janeiro passado, numa sexta feira em Seattle, um show levou os fãs do grunge presentes à loucura. Por que? Simplesmente porque Chris Cornell, o vocalista do Soundgarden, se uniu ao guitarrista Mike McCready, do Pearl Jam, e o baixista Duff McKagan, ex-Guns n’ Roses, no elegantíssimo Benaroya Hall, em Seattle, para fazer um show totalmente voltado ao estilo das blusas de flanelas.

Apoiados do baterista Barrett Martin e da Orquestra Sinfônica de Seattle, o heróis do grunge reviveram músicas do projeto Mad Season, que tinha Layne Staley (que era do Alice In Chains) nos vocais. Para deixar o momento ainda mais com cara de noventista, Stone Gossard, Jeff Ament e Matt Cameron, do Pearl Jam, subiram ao palco e todos juntos tocaram canções de um outro projeto, o Temple of The Dog, atingido o ápice grunge da noite. Imagina a emoção da galera presente?

Eu aqui terminando meu almoço e me deparo com esta canção no grupo “I Am Mine” Pearl Jam Brasil do qual participo e por alguns segundos, aguardando minha sobremesa e já com água na boca, me flagrei com o seguinte pensamento: Bem que poderia ocorrer também um evento dessa grandeza em terras tupiniquins, seria o máximo, não é mesmo? Ah, e como seria!